• EN
  • Ajuda Contextual
  • Imprimir
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • LinkedIn
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > GS1106

Saúde e Envelhecimento


Código: GS1106    Sigla: SE

Ocorrência: 2021/22 - 1S

Área de Ensino: Ciências da Saúde

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
LGS 11 Despacho 6311/08 de 05 de Março 2 ECTS

Horas Efetivamente Lecionadas

TURMA1

Teórico-Práticas: 20,00

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 2,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 2,00
Margarida da Silva Neves de Abreu   2,00

Língua de Ensino

Português

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

Identificar os principais desafios colocados pelo envelhecimento, à sociedade e aos serviços de saúde; 

Refletir sobre o enquadramento da problemática do envelhecimento no âmbito das políticas sociais e da saúde;
 Desenvolver competências que permitam identificar necessidades, planear, implementar e avaliar ações de intervenção.

Programa

Envelhecimento: Conceitos e teorias; 

Fisiologia do envelhecimento normal; Mitos; 
Conceitos de saúde; Fatores que influenciam o estado de saúde do idoso (Determinantes de saúde e DSS); 
Sistema Nacional de Saúde: Plano Nacional de Saúde; Lei de Bases da Saúde; Programas públicos;  ACeS; Cuidados continuados integrados e Cuidados paliativos.
Envelhecimento normal (comum e bem sucedido). 
Envelhecimento saudável. 
 Sexualidade na pessoa idosa; 
Epidemiologia do envelhecimento: Mortalidade, Morbilidade,  Fragilidade; Vulnerabilidade; Co-morbilidade e doença crónica; Síndromes geriátricas; 
Vacinação: Programa Nacional de Vacinação; Conceito de vacina; Vacinas indicadas para as pessoas idosas (Gripe, Tétano e Difteria); Contraindicações (falsas e verdadeiras); 
Familiares cuidadores; 
A problemática do fim da vida; 
Avaliação da pessoa idosa.

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos da UC

Em Portugal, os indicadores demográficos mostram-nos que os portugueses vivem cada vez mais anos (Ministério da Saúde, 2018). Segundo a Fundação Francisco Manuel dos Santos (2020), cerca de 22% da população portuguesa são pessoas idosas, sabendo-se que o perfil destas não é semelhante ao perfil da mesma população de há trinta anos e não será semelhante ao do das pessoas idosas dos próximos vinte anos (Ministério da Saúde, 2018).

Segundo o INE (2017), as projeções da população entre 2015 e 2080, indicam que em Portugal o número de jovens diminuirá de 1,5 para 0,9 milhões e o de pessoas idosas aumentará de 2,1 para 2,8 milhões. O aumento da expectativa de vida aos 65 anos não significa necessariamente que os anos extra são vividos com uma boa saúde. Na Europa, o número médio de anos de vida saudável aos 65 anos era, em 2015,  de 9,3 anos para mulheres e 9,4 anos para os homens. Os  anos adicionais de vida que as mulheres experienciam em relação aos homens são vividos com algum tipo de limitação de atividade. Estes dados ilustram que o facto das pessoas  viverem mais, não significa que vivam com melhor saúde e que as suas necessidades são atendidas. 

Assim, as Nações Unidas (2020) declarou a década 2021-2030 a década do envelhecimento saudável. Esta encontra-se alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).  A Década é considerada a principal estratégia  para alcançar e apoiar ações para enfrentar os desafios do envelhecimento da população.

Segundo a OMS/OPAS (2021) é crucial compreender as implicações das mudanças demográficas atuais, bem como a transição epidemiológica, para que as sociedades estejam preparadas para atender uma população envelhecida. 

Este cenário implica uma educação que permita a reflexão e a mudança na forma como pensamos, sentimos e agimos em relação à idade e ao envelhecimento.

Bibliografia Principal

Freitas, E. V.; PY, L.; CANÇADO, F.A.X. e outros ;Tratado de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan SA, 2006
DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE;Programa Nacional para a Saúde das Pessoas idosas, DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE, 2004 (Circular Normativa nº 13/DGCG)
DGS;DIRECÇÃO GERAL DE SAÚDE. Plano Nacional de Saúde – revisão e extensão a 2020 , DGS, 2015
Direção Geral da Saúde;Plano Nacional de Saúde, Direção Geral da Saúde, 2012
Paúl, C.;Envelhecer em Portugal psicologia, saúde e prestação de cuidados, Climepsi Editores, 2005

Métodos de Ensino

Expositivo e participativo.


Modo de Avaliação

Avaliação apenas com exame final

Componentes de Avaliação e Ocupação registadas

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Participação presencial (estimativa)  Aulas  26
  Total: 26

Avaliação Contínua

Frequência.

Avaliação Final

Frequência: 100%

Provas e Trabalhos Especiais

Não se aplica

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

O envelhecimento da sociedade é uma realidade inevitável. Esta situação implica a necessidade de se pensar formas de assistência que promovam a autonomia e independência da pessoa idosa e, consequentemente, a manutenção da sua saúde e qualidade de vida. Para isso, é fundamental formar profissionais para que desenvolvam competências cognitivas (informação) e competências pessoais (saber lidar com).