• EN
  • Ajuda Contextual
  • Imprimir
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • LinkedIn
Você está em: Início > Cursos > Licenciaturas > LGS

Gerontologia Social







Este curso encontra-se homologado no âmbito do Processo de Bolonha.

Estado de Bolonha: Adequado
Data de Homologação: 2008-03-05
Sigla: LGS
Grau: Licenciatura
N.º máximo de admissões : 40
Diplomas:
  • Licenciatura em Gerontologia Social
Início de Funcionamento: 2008/09
Coordenador: Joana Madalena Tavares Martins Guedes
Nº de Processo de Acreditação : ACEF/0910/0027136
Data de Publicação : 2012-07-17
Nº de Registo DGES: Despacho nº 6310
Data de atribuição do Registo : 2008-03-05
Registo(s) de alteração : Aviso n.º 14892/2020
Data de alteração do Registo : 2020-09-28
Planos de Estudo:

Descrição

O estudo do envelhecimento tem-se assumido como um campo multidisciplinar que integra contributos de diversas áreas disciplinares. Entre as áreas consideradas nucleares encontram-se a Biologia, a Sociologia e a Psicologia. No entanto, muitas outras áreas do conhecimento dão o seu contributo relevante, tais como a política pública, as humanidades, a economia e a educação.

A Gerontologia é o estudo dos processos de envelhecimento e dos indivíduos à medida que envelhecem. Segundo a Association of Gerontology in Higher Education (AGHE, 2014), esta ciência integra o estudo das mudanças físicas, mentais e sociais do envelhecimento humano, a investigação das mudanças sociais que resultam do envelhecimento das populações e a aplicação do conhecimento produzido nestes domínios na definição/melhoramento de políticas e programas.

Este ciclo de estudo tem como objectivo geral formar profissionais possuidores de conhecimentos científicos sobre o fenómeno do envelhecimento e de saberes teórico-práticos sobre a intervenção em situações concretas. Visa formar profissionais preparados para:

  • Diagnosticar problemas específicos do envelhecimento, identificando com clareza o encadeamento de factores sociais e psicológicos que estão na sua génese;
  • Identificar e compreender as manifestações normais e patológicas do envelhecimento;
  • Implementar programas de acção promotores do envelhecimento activo;
  • Estabelecer e desenvolver uma relação de escuta empática e de acompanhamento psicossocial dos idosos, tendo em conta a diversidade dos seus percursos de vida e recursos sociais, bem como dos estados de saúde;
  • Realizar a avaliação multidimensional da pessoa idosa e definir o seu projecto de vida;
  • Interagir com as diversas profissões envolvidas no tratamento dos problemas inerentes ao envelhecimento, graças à compreensão dos campos de intervenção de cada uma, dos seus saberes específicos e das formas de cooperação que podem desenvolver entre si;
  • Ser um agente activo da construção e gestão de organizações que promovam a participação social dos idosos, auto-reflexivas e abertas ao aperfeiçoamento e à mudança;
  • Actualizar os seus conhecimentos acerca das políticas de protecção da população idosa, em Portugal e na União Europeia, e dos recursos disponibilizados pelos sistemas de solidariedade social e de saúde;
  • Avaliar as potencialidades e limitações dos diversos tipos de equipamentos e serviços acessíveis à população idosa e desenvolver a criatividade necessária para lutar contra os funcionamentos estereotipados e afastados das necessidades concretas dos idosos;
  • Elaborar um diagnóstico dos recursos humanos, materiais e culturais disponíveis numa dada território e que podem ser mobilizados para a concepção e implementação de um plano gerontológico.

Trata-se, pois, de oferecer uma formação consistente no que respeita à ruptura com as representações correntes sobre o envelhecimento, assim como no que concerne à capacidade de inovação de forma a criar, para a população que envelhece, um mundo onde a vida faça sentido e que continue a preservar a autonomia do indivíduo. A finalidade desta formação é, pois, a de preparar um tipo de técnico com sensibilidade para formas de organização compatíveis com a preservação da curiosidade pelas coisas da vida, por via da fixação de objectivos acessíveis que protejam eficientemente o idoso da marginalização social e da auto-desvalorização.

Informações

SAÍDAS PROFISSIONAIS
  • Estruturas Residenciais para Idosos; 
  • Centros de Dia; 
  • Serviços de Apoio Domiciliário; 
  • Centros de Convívio; 
  • Universidades Séniores; 
  • Juntas de Freguesia; 
  • Câmaras Municipais.

Contactos:
Direcção do curso: lgs@isssp.pt