• EN
  • Ajuda Contextual
  • Imprimir
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • LinkedIn
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > SS1910206
ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Técnicas Activas de Grupo 1


Código: SS1910206    Sigla: TAG1
Áreas Científicas: Teoria Social Aplicada

Ocorrência: 2020/21 - 1S

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
LSS1 63 Despacho 11629/2007, de 12 de Junho 3 ECTS

Horas Efetivamente Lecionadas

1TURMAG1

Laboratoriais: 26,00

1TURMAG2

Laboratoriais: 0,00

Docência - Horas

Laboratoriais: 2,00

Tipo Docente Turmas Horas
Laboratoriais Totais 2 4,00
Elsa Montenegro Moreira Marques   2,00
Nuno Márcio de Campos Pires   2,00

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem


1. Aquisição de noções fundamentais sobre a comunicação e e os pressupostos e requisitos da comunicação na relação de ajuda com base no modelo rogeriano da Abordagem Centrada na Pessoa.
2. Desenvolvimento de competências de comunicação e de relacionamento interpessoal, através de um processo experiencial, no formato de Grupos de Encontro, segundo o modelo da Abordagem Centrada na Pessoa, de Carl Rogers.

Espera-se que: (1) os estudantes desenvolvam capacidade de auto-reflexão e de análise acerca da complexidade do processo de comunicação em geral e na construção da relação de ajuda, em particular; (2) os estudantes fiquem habilitados a relacionar estes conhecimentos com a sua futura prática como Assistentes Sociais.

Programa

I - A comunicação como base de suporte da acção de qualquer interventor social. Conceito de comunicação. Contributos da Escola de Palo Alto para compreender o acto comunicativo. As relações de comunicação enquanto relações de poder. O paradigma da simetria-complementaridade para compreender como e por que razão o poder anda associado às relações de comunicação. Condições para uma comunicação eficaz.

II - Conceitos-chave de grupo, da dinâmica de grupo e das relações interpessoais, segundo o modelo rogeriano.
a) Dinâmica de grupos: i. directividade vs não directividade; ii. tendência actualizante; iii. o grupo como organismo.
b) Condições necessárias para a actualização das potencialidades do grupo: i. aceitação incondicional positiva; ii. compreensão empática; iii. congruência.
c) A escuta activa;
d) Consequências de uma intervenção em grupo: a descoberta da acção do grupo sobre os seus participantes;
III - Experiência de integração num grupo de encontro.

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos da UC

Bibliografia Principal

Bermejo, J. C.;Apuntes de relación de ayuda, Santander: Sal Terrae, 1998
Bernard, A-M et al.;La relation d'aide en service social, Éditions Érès, 2005
Bianchi, E. (Comp.);El servicio social como processo de ayuda, Barcelona: Ediciones Paidos,, 1994
Rogers, C.;Tornar-se pessoa, Moraes ed., 1985
Torralba, F. ;A arte de saber escutar, Guerra e Paz, Editores S.A. , 2010
Tremblay, L.;La relation d'aide: developper des competences pour mieux aider, Editions Saint-Martin, 2003

Métodos de Ensino

Aulas expositivas. Discussão de textos, de temas e da experiência dos estudantes em grupo. Interacção dinâmica de grupo.



Modo de Avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Avaliação Contínua

Avaliação distribuída ou por exame final

A avaliação na disciplina por avaliação distribuída far-se-á em dois momentos:
- um teste com o peso relativo de 50% na nota final - realizado no mesmo dia do exame.
- um trabalho de grupo ( de 3 alunos, no máximo) - exercício escrito com apresentação oral - também com o peso relativo de 50% 
- participação nas aulas e nas atividades propostas: parâmetro de avaliação a considerar, embora sem tradução numérica.

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

UmUma vez que, com a disciplina, se pretende que os alunos se apropriem de um conjunto de novos conhecimentos e simultaneamente adquiram as competências básicas para perceber a sua utilidade no exercício da profissão, considera-se indispensável investir na sua exposição de uma forma que se pretende estruturada e coerente, tornando-os inteligíveis, e na combinação destes momentos com outros em que os alunos são desafiados a mobilizar os referidos conhecimentos perante problemas/exercícios concretos (prática simulada, análise de situações concretas, dinâmicas de grupo).